Carreira: Área da Beleza


Um dos que mais cresce no país, o setor busca profissionais que conseguem manter um equilíbrio constante entre técnica e comportamento




“O que você quer ser quando crescer?” Todo mundo já ouviu essa pergunta na infância e sabia de cor a resposta: “quero ser médico” ou “astronauta” ou, ainda, “quero ser veterinária”. Enfim, nas milhares opções de carreira disponíveis no mercado de trabalho, tem um segmento que está em franco crescimento e que procura profissionais comprometidos e capacitados: a área da Beleza.
De cabeleireiro a manicure; de designer de sobrancelhas a gestor de salão de beleza. As carreiras são diversas, com potencial de ganhos salariais que ultrapassam profissões há muito estabelecidas no mercado, como jornalistas, enfermeiros e advogados. “Um estudante do curso de formação profissional em cabeleireiro, pode começar sua carreira como assistente de salão, chegando a receber R$ 1.200 mais comissões de vendas de produtos”, explica Rodrigo Gimenes, diretor técnico da Academia Ondina e sócio proprietário do Salão de Beleza Monalisa, em Campinas.
De acordo com Rodrigo, esse mesmo profissional, após formado e com mínimo de 3 anos de profissão, pode chegar a ganhar R$ 7 mil. Profissionais com mais de 5 anos de profissão tem potencial de ganho de R$ 10 mil a R$ 50 mil.  “Comparado com um advogado, por exemplo, que fica cinco anos estudando para se formar e só assim começar a ganhar como profissional, a carreira na área da beleza é sem dúvida um investimento com retorno rápido. Sem contar na satisfação de estar trabalhando numa área que está em constante inovação e mudança”, ressalta.
E, de satisfação, os profissionais da área entendem. Vários alunos da Academia Ondina procuram a escola para se capacitar em profissões alternativas. “Temos alunos de diversas faixas etárias, desde os que estão começando a pensar na sua profissão até aqueles que já estão consolidados, mas infelizes com a escolha que fizeram, e estão buscando na área da beleza a satisfação pessoal”, diz a gestora da Unidade da Academia Ondina de Campinas, Danieli Siqueira.
Quando o assunto é formação, a estratégia de aprendizado é sempre fazer cursos com “mão na massa”. A Academia Ondina, por exemplo, tem metas de procedimentos de todos os cursos de Formação de Cabelo e Manicure e Pedicure. “Nosso grande diferencial é a prática. Os profissionais da beleza se aperfeiçoam com o conhecimento teórico, mas é a prática que leva à perfeição! Essa é o grande lema da minha avó Ondina e que a gente continuou trazendo para todos os cursos que criamos e aplicamos”, relembra Rodrigo.

Desafios e profissionalização
O mercado da beleza está em franco crescimento. Segundo o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o número de salões praticamente quadruplicou no país nos últimos 5 anos. Em 2012, eram 155. Já em 2017, esse número ultrapassa os 600 mil. “Apesar desse ‘boom’ de crescimento, ainda temos um grande desafio de profissionalização do setor, garantindo tanto conhecimento técnico dos profissionais (muitos não possuem nenhum curso de formação e ou especialização), quanto desenvolvimento comportamental. Os donos de salão buscam profissionais comprometidos e engajados com o autoaperfeiçoamento para que juntos possam firmar parcerias de sucesso e resultados para ambos”, afirma o diretor executivo da Academia Ondina e sócio proprietário do Salão de Beleza Monalisa, Ricardo Gimenes.
As possibilidades na área da beleza são grandes. É possível se arriscar como empreendedor, abrindo um estúdio, salão ou clínica. “Também é possível buscar parcerias com salões que já existem, se tornando um profissional parceiro. Tem muitos que entraram na área com objetivo de dar treinamentos e cursos de formação ou aperfeiçoamento. É uma carreira com muitas oportunidades e que de fato pode mudar a vida das pessoas”, finaliza Ricardo.




0 comentários:

Postar um comentário