Ambiente limpo e pronto para depilação


Um ambiente limpo e com as medidas certas de biossegurança, traz bem-estar ao cliente, além de prevenir diversos problemas de saúde.




Na sala de depilação, um bom trabalho oferecido com certeza marca a experiência para o cliente, mas não é só isso que o fideliza. Um ambiente limpo, que demonstre higiene e biossegurança, com certeza faz com que os momentos que ele passa ali realmente marquem e o façam voltar.

Mas... você sabe o que quer dizer Biossegurança? É um conjunto de ações que tem o objetivo de assegurar que qualquer procedimento seja feito de maneira segura, tanto para quem está sendo atendido quanto para quem está atendendo. Por isso é tão importante que tanto a depiladora quanto o cliente estejam protegidos.

“Um ambiente limpo traz clareza. Pela Lei 12/592, temos que obedecer todas as normas sanitárias. Por exemplo, utilizar álcool 70 para esterilizar todos os materiais e equipamentos. Não somente isso, as mãos do profissional e do cliente também devem ser higienizados, pois ambos terão contato também com a pele epilada e podem transmitir bactérias, provocando afecções na pele, como a foliculite”, comenta a educadora do curso de Depilação da Academia Ondina Rose Bigati.  

De acordo com ela, tudo na sala de depilação deve tratado como um ambiente hospitalar, com materiais descartáveis (desde as luvas, até a cobertura da maca) e lixeiras com pedais fechados. “Num ambiente que é necessária tanta cautela com a higiene, é preciso utilizar uma lixeira com lixo leitoso branco, para que o lixeiro saiba que é diferenciado”.


Descartar os resíduos no lixo correspondente com seu descarte.



Reaproveitamento

Outro alerta é na reutilização da cera, praticada por diversos profissionais. “Essa prática é proibida e pode e deve ser denunciada na Vigilância Sanitária do município. E a cera só pode ser utilizada se for patenteada. A partir do momento que a depiladora está utilizando a cera e guardando em um recipiente à parte do lixo comum, provavelmente ela está fazendo reaproveitamento”.



Segundo a educadora, a cera reaproveitada fica com aspecto diferente, mais escura e turva, e não gruda direito. “A contaminação pelo reuso da cera é extremamente séria, tanto para a depiladora quanto para o cliente, pois durante os procedimentos podem ocorrer sangramentos, podendo conter alguma doença infecciosa”. Isso ocorre, pois, ao reaquecer a cera, as bactérias se proliferam.

Mesmo trabalhando com equipamentos de proteção, Rose alerta também que é necessário estar sempre com a carteira de vacinação atualizada. “É ideal tomar uma vacina contra a hepatite B. É só ir até um posto perto da residência com o certificado do curso. Caso tenha contato com muito sangramento, é recomendado até mesmo procurar um médico”, finaliza.


Gostou desse conteúdo? A gente tem muito mais conteúdo como este. Veja a matéria sobre 'O ponto certo da cera'

0 comentários:

Postar um comentário