Você conhece a verruga plantar?


Conhecida como olho-de-peixe, a dermatovirose possui um tratamento para cada caso


Como um agente de saúde, o podólogo precisa de muito empenho e dedicação para aprender a diagnosticar e tratar seus clientes, esses que procuram os seus serviços em busca de tratamento para várias doenças e prevenções. Entre as mais frequentes dermatoviroses (infecção por vírus) que os podólogos tratam em suas consultas, está a verruga plantar, popularmente conhecida como olho-de-peixe, bastante frequente por causa da sua alta capacidade de proliferação epidérmica, caracterizada pela acantose, ou seja, espessamento da camada da epiderme.

A verruga plantar é causada pelo vírus papiloma humano (HPV), ocorre nas camadas mais superficiais da pele ou mucosa, ativando o crescimento anormal das células da epiderme. A coordenadora do curso Técnico de Podologia da Academia Ondina, Rose Prudente, explica que “o vírus entra no corpo através de pequenos cortes, rachaduras ou outros pontos fracos na parte inferior dos pés”. Por isso, é imprescindível que o profissional faça uso de todos os procedimentos de segurança, além do uso dos EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) e esterilização adequada dos produtos durante a consulta e ou tratamento.





Diagnóstico e tratamento

Para fazer o diagnóstico, o podólogo avalia características como pele espessa e grossa. Geralmente, as verrugas surgem na sola dos pés que são áreas que sofrem maior pressão. É possível também alinhar uma parceria com um dermatologista que pode recomendar ao cliente um podólogo para tratar essa dermatovirose.

Segundo Rose, para cada caso há um tratamento específico. “Depende do tamanho e da espessura da pele da verruga, além da imunidade do corpo do cliente para estabelecer qual tratamento vai ser o mais indicado, cauterização com o eletrocautério ou tratamento com Laser, por exemplo”. A educadora também menciona que, dependendo do caso, é importante adequar o número de sessões que serão aplicados os procedimentos de tratamento que podem variar de cinco ou mais sessões.

É fundamental que o profissional oriente o paciente para seguir todos os procedimentos para não espalha para outros pontos do pé. Porém, depois de tratadas, as verrugas não voltam a surgir. “É importante o profissional manter-se atualizado em relação aos métodos e possibilidades de tratamentos que surgem, o que possibilita retorno com as consultas e as sessões dos procedimentos, que podem ser cobrados separadamente. Além disso, participar de workshops e cursos de aperfeiçoamento na área podem valorizar mais o trabalho do profissional”, finaliza a educadora.




Quer saber mais? Fique de olho em nosso blog e nossas redes sociais para saber mais sobre nosso Workshop de Podologia que deve acontecer ainda no primeiro semestre de 2019.

0 comentários:

Postar um comentário